O que você precisa fazer antes de colocar seu carro à venda? Valorize o seu amigo!

Vender um carro é uma boa maneira de levantar grana para investir em um projeto pessoal ou para comprar um novo veículo. O problema é que esse é um processo um pouco complicado, com diferentes etapas.

Como a maioria das pessoas não conhece as etapas da venda de carro sem a intermediação de uma concessionária, muitas ficam em dúvida do que é preciso ser feito para finalizar o negócio com rapidez e evitar dor de cabeça no futuro. Esse é o seu caso? Então, saiba aqui tudo o que é essencial fazer antes de colocar o carro à venda e adote essas dicas para não ter problemas durante e depois da transação!

Reúna todos os documentos necessários

Para que seja possível realizar a venda é preciso ter em mãos três documentos fundamentais:

  • Versão original do CRV (Certificado de Registro do Veículo);
  • Original do CRLV (Certificado de Registro e Licenciamento do Veículo);
  • Comprovante de quitação de débitos, DPVAT (seguro obrigatório), licenciamento e multas.

Sempre verifique se esses papéis estão completamente legíveis, uma vez que ao longo dos anos podem sofrer danos. Caso não estejam, vá a um posto de atendimento do Detran e solicite a segunda via.

Regularize pendências

Será impossível finalizar a venda se o automóvel estiver com débitos de impostos e multas. Por isso, caso haja alguma pendência o melhor é finalizá-la o mais rápido possível, para poder realizar a transferência ao novo dono.

Leve o carro para revisão

Vender um veículo com problemas mecânicos é dor de cabeça na certa. A possibilidade de o novo proprietário ir atrás do antigo dono para resolver a questão é grande, gerando gastos imprevistos.

Para evitar esse tipo de situação, faça uma revisão no carro, para verificar se pneus, freios, óleo e parte elétrica estão em dia. Em caso negativo, providencie os devidos consertos.

Ao adotar essa dica é possível valorizar seu bem e vendê-lo por um preço um pouco maior, podendo fechar um negócio mais lucrativo e rentável do que o esperado.

Estabeleça um valor justo

A tendência é sempre querer vender o automóvel por um valor maior, no entanto tome cuidado, pois preços altos espantam os clientes! O melhor é pesquisar os preços praticados no mercado e tentar definir um valor de venda na mesma faixa.

Outra boa dica é se basear em duas tabelas que são referências, a Molicar e Fipe, que ajudam a ter uma ideia dos preços praticados no mercado. Em cima disso é possível dar descontos especiais que variam de 5% a 20%.

Divulgue corretamente

Já reuniu documentos, acertou pendências, levou o carro para a revisão e estabeleceu o valor? Agora é o momento é de divulgar o veículo. Neste caso, a internet é sua melhor aliada!

Utilize sites de vendas de produtos seminovos e usados, inclusive os do nicho de veículos. Elabore anúncios caprichados e detalhados, para que o possível cliente saiba exatamente o que está comprando.

Além disso, não abra mão das fotos. Anúncios com imagens chamam mais a atenção do cliente, fazendo com que ele tenha uma ideia do real estado do carro antes mesmo de vê-lo pessoalmente.

Procure tirar fotos de qualidade e de ângulos como frente, lateral, traseira e motor, inclusive do painel (que deve estar ligado) e sistema tecnológico, se o automóvel tiver. Evite fazer as imagens com o carro sujo ou com alguém dentro dele.

Depois de criado o anúncio, utilize as redes sociais para divulgá-lo e peça para que seus amigos também ajudem nesse processo, compartilhando o link em seus perfis, para aumentar as chances de venda.

O que fazer depois de fechar negócio?

Há quem pense que o processo termina quando o carro já foi vendido e o pagamento efetuado. É aí que está o engano: é preciso fazer a transferência para o novo dono, para não ter surpresas desagradáveis.

Se esse processo não for realizado, eventuais multas ou débitos serão direcionados para o antigo proprietário. Quer evitar esse tipo de problema? Então, garanta que ambas as partes assinem a ATPV (Autorização para Transferência de Propriedade de Veículo), localizada no CRV.

Depois de assinado, faça uma cópia autenticada do CRV, já que se ocorrer algum problema será possível comprovar que veículo não lhe pertence mais e o caso deve ser resolvido com o novo dono.

No prazo máximo de 30 dias outra cópia autenticada e datada do documento deve ser encaminhada para o Detran, para comprovar a transferência. Toda comunicação de venda sempre deve ser feita ao órgão, de acordo com o Código de Trânsito Brasileiro.

1 Star2 Stars3 Stars4 Stars5 Stars (1.985 votes, average: 4,60 out of 5)
Loading...

Add comment

Mais